Trajetória

Escola de Educação Física e Esporte: pioneirismo desde 1934

Criada em 1934 como um instituto isolado, sendo integrada à USP em 1969, a Escola de Educação Física e Esporte foi a primeira instituição civil da área no Brasil. Ao longo dos anos, a EEFE passou por diversas mudanças, tanto físicas quanto de enfoque acadêmico. Inicialmente, o objetivo era graduar professores que atuariam no ensino formal. A área da Educação Física era vista majoritariamente pela perspectiva profissional e não acadêmica. O curso, portanto, focava-se em disciplinas de orientação prática, como esportes, jogos e danças. O lema era: “aprender a executar para poder ensinar”.

A demanda por ampliar a fundamentação teórica surgiu no final da década de 1970, quando se reconheceu a necessidade de incluir na grade curricular novas disciplinas, tanto de natureza biológica como psicológica e social. Nesse período, a Escola passa por uma fase de transição para um aprofundamento acadêmico, culminando, em 1977, na criação da pós-graduação em nível de Mestrado e, em 1989, de Doutorado. Ambos os programas foram pioneiros na América Latina.

O novo enfoque levou ao questionamento do curso de graduação. Todos os anos, formavam-se licenciados que muitas vezes não atuariam em escolas, mas em outros campos oferecidos pelo Esporte e pela Educação Física. A discussão resultou, em 1992, na reestruturação da graduação em Bacharelado e Licenciatura em Educação Física e Bacharelado em Esporte.

Atualmente, uma das principais preocupações da EEFE-USP é o fomento à área de pesquisa, procurando estabelecer uma estrutura integrada de produção de conhecimentos básicos, aplicados e na área de tecnologia. Esse estímulo pode ser exemplificado pela recente melhoria da infraestrutura de pesquisa e pela articulação entre graduação e pós-graduação por meio de programas de iniciação científica, treinamento e assistência ao ensino.

A organização desses estudos acadêmicos, profissionais e técnicos, é feita por três departamentos, que correspondem a subáreas de investigação: Esporte, Pedagogia do Movimento do Corpo Humano e Biodinâmica do Movimento do Corpo Humano. O objetivo dessas áreas é estudar os fenômenos biopsicossociais da atividade física e desenvolver tecnologias para intervenção na forma de produtos e serviços que atendam às necessidades e expectativas da população.

Tanto a atividade física quanto o esporte constituem fenômenos de profundo impacto sociocultural, o que demanda um profissional devidamente capacitado para intervir. A atividade física ganhou evidência por constituir elemento essencial para a saúde e a qualidade de vida. Já o esporte é reconhecido como uma das expressões socioculturais mais importantes do mundo contemporâneo. Essas áreas encerram uma complexidade cuja compreensão desafia as fronteiras entre disciplinas tradicionais biológicas, humanas e exatas, e entre o técnico e o acadêmico.

Anúncios